COMO ELABORAR UM CURRÍCULO PARA DOCENTE.

PUBLICADO POR CONTEÚDO ESCOLA - ESCRITO POR GERSON BELUCI, RAFAEL ANNUNCIATO NETO E SALVADOR FITTIPALDI EM 09/03/2005 ÀS 10H27

O OBJETIVO DO ARTIGO É CRIAR UM REFERENCIAL DOS TÓPICOS QUE DEVEM SER CONSIDERADOS NA ELABORAÇÃO DE UM CURRÍCULO.

O RESUMO DA VIDA PROFISSIONAL DEVE APRESENTAR AS INFORMAÇÕES MAIS RECENTES EM PRIMEIRO LUGAR, CONSIDERANDO OS DADOS ACADÊMICOS EM PRIMEIRO PLANO E PROFISSIONAIS EM SEGUNDO PLANO, DESDE QUE SEJAM COMPATÍVEIS COM A DISCIPLINA A SER MINISTRADA.

COLOQUE-SE NA SITUAÇÃO DO COORDENADOR DO CURSO QUE RECEBE UMA GRANDE QUANTIDADE DE CURRÍCULOS.

CONSIDERE A QUANTIDADE DE PESSOAS DISPONÍVEIS NO MERCADO DE TRABALHO QUE DESEJAM DAR AULAS.

O OBJETIVO DO CURRÍCULO É GERAR A ENTREVISTA, VENDER AS QUALIFICAÇÕES ACADÊMICAS DO DOCENTE.

O RESUMO DA VIDA PROFISSIONAL DEVE APRESENTAR AS INFORMAÇÕES MAIS RECENTES EM PRIMEIRO LUGAR, CONSIDERANDO OS DADOS ACADÊMICOS EM PRIMEIRO PLANO E PROFISSIONAIS EM SEGUNDO PLANO, DESDE QUE SEJAM COMPATÍVEIS COM A DISCIPLINA A SER MINISTRADA.
 

  • EVITAR ERROS DE DIGITAÇÃO E DE PORTUGUÊS (ORTOGRAFIA, CONCORDÂNCIA E ACENTUAÇÃO);

  • NÃO SER PROLIXO, POIS QUEM ESTIVER SELECIONANDO NÃO PODE PERDER TEMPO;

  • ELIMINAR TODA REDUNDÂNCIA NA REDAÇÃO, ISTO É, UTILIZAR FRASES SIMPLES E DIRETAS;

  • OMITIR A INFORMAÇÃO QUANDO A MESMA NÃO FOR POSITIVA OU NÃO TIVER RELAÇÃO COM O CARGO DE DOCENTE;


OS ERROS MENCIONADOS ANTERIORMENTE SÃO IMPERDOÁVEIS EM UM CURRÍCULO DE PROFESSOR. 

NA COMPOSIÇÃO DO CURRÍCULO, DEVERÁ CONSTAR: 

DADOS PESSOAIS: NOME, ENDEREÇO COMPLETO, TELEFONE DE CONTATO, ESTADO CIVIL, NACIONALIDADE E IDADE. 

OBJETIVO: CARGO DE PROFESSOR 
ESPECIFICAR O NÍVEL DE ENSINO: PÓS-GRADUAÇÃO, GRADUAÇÃO, ENSINO MÉDIO, TÉCNICO OU FUNDAMENTAL E QUAIS AS DISCIPLINAS ESTÁ APTO A LECIONAR.

IMPORTANTE: EXISTEM CURRÍCULOS DE COMPANHEIROS NOS QUAIS É NECESSÁRIO "ADVINHAR" OU LER ATÉ O FINAL PARA ENTÃO TENTAR DESCOBRIR QUAL DISCIPLINA O PROFESSOR DESEJA LECIONAR.

FORMAÇÃO ACADÊMICA: CURSO E NOME DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO, DEFINIR SE ESTÁ CURSANDO PÓS-GRADUAÇÃO, COLOCAR PERÍODO QUE ESTÁ CURSANDO, PREVISÃO DE CONCLUSÃO DO MESTRADO OU DOUTORADO. 

RESUMO DAS QUALIFICAÇÕES DESCREVER E QUANTIFICAR AS REALIZAÇÕES PROFISSIONAIS. SUGERIMOS PRIORIZAR OS DADOS DE PRODUÇÃO ACADÊMICA (TESE, DISSERTAÇÃO), PESQUISAS REALIZADAS, PRODUÇÃO BIBLIOGRÁFICA (ARTIGOS, TEXTOS EM JORNAL OU REVISTA, LIVROS PUBLICADOS OU NO PRELO), PRÊMIOS E TÍTULOS RECEBIDOS, PRODUÇÃO TÉCNICA (SOFTWARE, PRODUTOS, PRODUÇÃO ARTÍSTICA, PRODUÇÃO CULTURAL), PARTICIPAÇÃO EM CONGRESSOS, SIMPÓSIOS, BANCA EXAMINADORA OU ORIENTADOR DE TRABALHOS ACADÊMICOS.

IDIOMAS: LÍNGUA, NÍVEL E TEMPO DE DOMÍNIO, NOME DA ESCOLA. NESTA OPORTUNIDADE PODEM SER SALIENTADAS AS VIAGENS AO EXTERIOR PARA PARTICIPAÇÃO DE CONGRESSOS, SIMPÓSIOS, SEMINÁRIOS CIENTÍFICOS. 

CURSOS EXTRACURRICULARES: É NESTE TÓPICO QUE O PROFESSOR TRANSMITE SEU GRAU DE ATUALIZAÇÃO E O INVESTIMENTO PESSOAL EM SUA CARREIRA. AS UNIVERSIDADES, CENTROS UNIVERSITÁRIOS E FACULDADES PROCURAM PROFISSIONAIS QUE CONTINUAMENTE ESTÃO EM DESENVOLVIMENTO. 
 

  • NOME DO CURSO

  • INSTITUIÇÃO

  • PERÍODO

  • CARGA HORÁRIA


SUGERIMOS TAMBÉM APRESENTAR CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO, PALESTRAS CONGRESSOS E SEMINÁRIOS. 

NOTA: FAZER EM TÓPICOS MENCIONANDO A QUALIDADE DA PARTICIPAÇÃO, SE MINISTROU OU SE FOI OUVINTE. 

HISTÓRICO PROFISSIONAL: DEVERÃO SER RELACIONADOS OS MAIS IMPORTANTES OU OS TRÊS ÚLTIMOS EMPREGOS. DEVE-SE MENCIONAR EM PRIMEIRO LUGAR O ÚLTIMO EMPREGO OU O ATUAL E EM SEGUIDA OS DEMAIS. EVIDENTEMENTE, O DESTAQUE DEVE SER O ACADÊMICO, MESMO POR QUE O CURRÍCULO É DE PROFESSOR. 

RECOMENDAMOS CITAR AQUELES EMPREGOS CUJOS CARGOS ESTÃO RELACIONADOS COM A DISCIPLINA A SER MINISTRADA. 

DEVERÁ CONSTAR TAMBÉM O CARGO INICIAL E ÚLTIMO, POIS COM ISSO É POSSÍVEL ACOMPANHAR A ASCENSÃO E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL. 

PRETENSÃO SALARIAL: SÓ COLOQUE A PRETENSÃO SALARIAL SE FOR SOLICITADO NO ANÚNCIO. EM MUITOS CASOS, A DECISÃO PODE SER EM FUNÇÃO DO DESAFIO, DAS PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO OU ATÉ MESMO PELOS BENEFÍCIOS. 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A QUALIDADE DA IMPRESSÃO E DO PAPEL SÃO PONTOS IMPORTANTÍSSIMOS NA VENDA DA PRIMEIRA IMAGEM, POIS REVELA A APRESENTAÇÃO. O TIPO DE PAPEL DEVE SER O MELHOR POSSÍVEL, E DEVE SER COMPATÍVEL COM O TIPO DE IMPRESSÃO. É ACONSELHÁVEL ENVIAR SOMENTE ORIGINAL. PORÉM, SE NÃO FOR POSSÍVEL, VOCÊ DEVERÁ TOMAR ALGUNS CUIDADOS BÁSICOS COM RELAÇÃO À CÓPIA. DEVERÁ ESTAR BEM LEGÍVEL, NUNCA COM LETRAS APAGADAS OU MESMO CLARAS DEMAIS, O QUE DIFICULTA A LEITURA. A DIAGRAMAÇÃO DEVE SER AGRADÁVEL E COM EQUILÍBRIO NO TAMANHO DAS LETRAS E NO NEGRITO. DEVE-SE APROVEITAR A DIAGRAMAÇÃO NA HORIZONTAL, CONSIDERANDO:
 

  • MARGEM PARA ARQUIVAMENTO;

  • COMUNICAÇÃO VISUAL (SEM EXCESSOS);

  • TAMANHO DA LETRA (UTILIZAR DOIS TIPOS DE LETRAS);

  • NEGRITO (SOMENTE NOS DADOS MUITO IMPORTANTE);

  • CAIXA ALTA – MAIÚSCULAS (SOMENTE NOS TÓPICOS).


A EXPERIÊNCIA NOS ENSINA QUE SOMENTE O DOCENTE DEVE FAZER SUA OPÇÃO DE ESCOLHA DA DISCIPLINA, POIS O PROFISSIONAL DO ENSINO SE IMPÕE PELO CONHECIMENTO. 

* GERSON BELUCI – ENGENHEIRO, ADMINISTRADOR, PÓS-GRADUADO, PROFESSOR UNIVERSITÁRIO E CONSULTOR DE GESTÃO.

*RAFAEL ANNUNCIATO NETO – PEDAGOGO, MESTRANDO, PROFESSOR UNIVERSITÁRIO E CONSULTOR DE RECURSOS HUMANOS.

*SALVADOR FITTIPALDI – ADMINISTRADOR, MESTRE EM ADMINISTRAÇÃO, PROFESSOR UNIVERSITÁRIO E COORDENADOR NA USJT.

REPENSANDO A FORMAÇÃO CONTINUADA.

PUBLICADO POR CONTEÚDOESCOLA - ESCRITO POR DINÉIA HYPOLITTO EM 23/07/2004 ÀS 09H11

DE AUTORIA DA LEITORA DINÉIA HYPOLITTO, O TEXTO VERSA SOBRE A IMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO CONTINUADA E SUAS REPERCUSSÕES PARA OS PROFISSIONAIS.

RESUMO: DENTRO DO CONTEXTO EDUCACIONAL CONTEMPORÂNEO, A FORMAÇÃO CONTINUADA É SAÍDA POSSÍVEL PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DO ENSINO, POR ISSO O PROFISSIONAL CONSCIENTE DEVE SABER QUE SUA FORMAÇÃO NÃO TERMINA NA UNIVERSIDADE. FORMAR (OU REFORMAR) O FORMADOR PARA A MODERNIDADE ATRAVÉS DE UMA FORMAÇÃO CONTINUADA PROPORCIONARÁ AO MESMO INDEPENDÊNCIA PROFISSIONAL COM AUTONOMIA PARA DECIDIR SOBRE O SEU TRABALHO E SUAS NECESSIDADES.

 

PALAVRAS CHAVE: FORMAÇÃO CONTINUADA, ESCOLA, PROFESSOR.

 

A FORMAÇÃO CONTÍNUA (2) É (NÓVOA 1991, FREIRE 1991 E MELLO 1994) SAÍDA POSSÍVEL PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DO ENSINO, DENTRO DO CONTEXTO EDUCACIONAL CONTEMPORÂNEO. NOVA O BASTANTE PARA NÃO DISPOR AINDA DE MAIS TEORIAS NUTRIENTES, PROVAVELMENTE, AINDA EM GESTAÇÃO. É UMA TENTATIVA DE RESGATAR A FIGURA DO MESTRE, TÃO CARENTE DO RESPEITO DEVIDO A SUA PROFISSÃO, TÃO DESGASTADA EM NOSSOS DIAS. "NINGUÉM NASCE EDUCADOR OU MARCADO PARA SER EDUCADOR. A GENTE SE FAZ EDUCADOR, A GENTE SE FORMA, COMO EDUCADOR, PERMANENTEMENTE, NA PRÁTICA E NA REFLEXÃO DA PRÁTICA". (FREIRE, 1991: 58).

 

PARA O AUTOR, FORMAÇÃO PERMANENTE É UMA CONQUISTA DA MATURIDADE, DA CONSCIÊNCIA DO SER. QUANDO A REFLEXÃO PERMEAR A PRÁTICA, DOCENTE E DE VIDA, A FORMAÇÃO CONTINUADA SERÁ EXIGÊNCIA "SINE QUA NON" PARA QUE O HOMEM SE MANTENHA VIVO, ENERGIZADO, ATUANTE NO SEU ESPAÇO HISTÓRICO, CRESCENDO NO SABER E NA RESPONSABILIDADE.

 

A MODERNIDADE EXIGE MUDANÇAS, ADAPTAÇÕES, ATUALIZAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO. QUEM NÃO SE ATUALIZA FICA PARA TRÁS. A PARCERIA, A GLOBALIZAÇÃO, A INFORMÁTICA, TODA A TECNOLOGIA MODERNA É UM DESAFIO A QUEM SE FORMOU HÁ VINTE OU TRINTA ANOS. A CONCEPÇÃO MODERNA DE EDUCADOR EXIGE "UMA SÓLIDA FORMAÇÃO CIENTÍFICA, TÉCNICA E POLÍTICA, VIABILIZADORA DE UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA CRÍTICA E CONSCIENTE DA NECESSIDADE DE MUDANÇAS NA SOCIEDADE BRASILEIRA" (BRZEZINSKI, 1992:83).

 

O PROFISSIONAL CONSCIENTE SABE QUE SUA FORMAÇÃO NÃO TERMINA NA UNIVERSIDADE. ESTA LHE APONTA CAMINHOS, FORNECE CONCEITOS E IDÉIAS, A MATÉRIA-PRIMA DE SUA ESPECIALIDADE. O RESTO É POR SUA CONTA. MUITOS PROFESSORES, MESMO TENDO SIDO ASSÍDUOS, ESTUDIOSOS E BRILHANTES, TIVERAM DE APRENDER NA PRÁTICA, ESTUDANDO, PESQUISANDO, OBSERVANDO, ERRANDO MUITAS VEZES, ATÉ CHEGAREM AO PROFISSIONAL COMPETENTE QUE HOJE SÃO.

 

A UNIVERSIDADE NÃO É O QUE DEVERIA SER: UM CENTRO DE CRIAÇÃO DO CONHECIMENTO, DE PESQUISA E QUESTIONAMENTO. O UNIVERSITÁRIO CONTINUA PASSIVO, ESPERANDO O "PONTO" DO PROFESSOR, MEMORIZANDO E REPETINDO NA PROVA, QUE DECIDE A SUA APROVAÇÃO. VASCONCELLOS (1995:19) CONFIRMA:

 

FORMAÇÃO DEFICITÁRIA; DIFICULDADE EM ARTICULAR TEORIA E PRÁTICA: A TEORIA DE QUE DISPÕE, DE MODO GERAL, É ABSTRATA, DESVINCULADA DA PRÁTICA E, POR SUA VEZ A ABORDAGEM QUE FAZ DA PRÁTICA É SUPERFICIAL, IMEDIATISTA NÃO CRÍTICA.

 

A UNIVERSIDADE TAMBÉM NÃO É NACIONAL NEM UNIVERSAL. NÃO SE COMUNICA COM A SOCIEDADE, NÃO CONHECE O MUNDO EMPRESARIAL E DO TRABALHO, NÃO CONTRIBUI NEM APROVEITA CONTRIBUIÇÕES DE OUTROS SETORES. NÃO É UNIVERSAL: DESCONHECE OU NÃO APROVEITA A EVOLUÇÃO E MUDANÇAS DO MUNDO DA CIÊNCIA E DA TECNOLOGIA. ESTÁ ISOLADA, REPETINDO UM CURRÍCULO DEFASADO, INÓCUO, DESINTERESSANTE E FECHADO.

 

O PROFESSOR, NELA FORMADO, DEVE TER BASTANTE INTELIGÊNCIA, TEMPO E DECISÃO PARA SUPERAR ESSAS DEFICIÊNCIAS. POR SI MESMO, DEVE PROCURAR ATUALIZAR-SE, EMBASAR-SE TEORICAMENTE, OBSERVAR A PRÁTICA E TIRAR LIÇÕES MELHORAR SEU DESEMPENHO.

 

UM PROFESSOR DESTITUÍDO DE PESQUISA, INCAPAZ DE ELABORAÇÃO PRÓPRIA É FIGURA ULTRAPASSADA, UMA ESPÉCIE DE SOBRA QUE REPRODUZ SOBRAS. UMA INSTITUIÇÃO UNIVERSITÁRIA QUE NÃO SINALIZA, DESENHA E PROVOCA O FUTURO ENCALHOU NO PASSADO (DEMO, 1994:27).

 

 

 

 

 

O PROFESSOR REPETE O MESMO CURRÍCULO DE SEUS ANTECESSORES E, ASSIM, A ESCOLA CONTINUA PARADA NO TEMPO COM ALUNOS INDISCIPLINADOS E DESMOTIVADOS, PASSANDO CONHECIMENTOS QUE EM NADA SERVEM PARA A VIDA SOCIAL, PROFISSIONAL E PESSOAL.

 

QUE DEVE FAZER O PROFESSOR CONSCIENTE E COMPROMETIDO COM SEU TRABALHO? INVESTIR EM SUA FORMAÇÃO, CONTINUÁ-LA PARA NÃO FRUSTRAR-SE PROFISSIONALMENTE, PARA PODER EXIGIR RESPEITO E, MESMO, MELHORIAS SALARIAIS.

 

O DIA CHEIO E ESTAFANTE NÃO RESERVA TEMPO PARA A LEITURA, O ESTUDO, A PREPARAÇÃO DE AULA. OS CURSOS PROPOSTOS, GERALMENTE AOS SÁBADOS OU EM HORÁRIOS IMPOSSÍVEIS, NÃO ATRAEM O PROFESSOR QUE, AO MENOS, NOS FINS DE SEMANA, QUER FICAR COM A FAMÍLIA E MUITAS VEZES COM OS CADERNOS E PROVAS PARA CORRIGIR.

 

ENTRETANTO, "O PROFISSIONAL DO FUTURO (E O FUTURO JÁ COMEÇOU) TERÁ COMO PRINCIPAL TAREFA APRENDER. SIM, POIS, PARA EXECUTAR TAREFAS REPETITIVAS EXISTIRÃO OS COMPUTADORES E OS ROBÔS. AO HOMEM COMPETIRÁ SER CRIATIVO, IMAGINATIVO E INOVADOR" (SEABRA, 1994:78).

 

DIANTE DESSE QUADRO, NÃO É UTOPIA DESEJAR UMA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO COM EQÜIDADE, QUE OFEREÇA BOM ENSINO, QUE PREPARE PARA OS DESAFIOS DA MODERNIDADE?

 

O PROFESSOR SAI DA UNIVERSIDADE APENAS COM UM DIPLOMA. NÃO ESTÁ PREPARADO PARA ENSINAR, NÃO DOMINA O CONTEÚDO, NÃO CONHECE METODOLOGIAS EFICAZES, FALTA-LHE ESTÍMULO PARA ENFRENTAR UMA CLASSE AGITADA, INDISCIPLINADA, APÁTICA E PASSIVA.

 

A OFERTA DE VAGAS, PELO MENOS NA REDE PÚBLICA ESTADUAL DE SÃO PAULO, AUMENTOU, E ATENDE A QUASE TODA A DEMANDA. A MUITAS ESCOLAS ESTÁ CHEGANDO A TECNOLOGIA: TV, VÍDEO, COMPUTADOR. A BUROCRATIZAÇÃO CEDE UM POUCO E CONFIA À DIRETORIA REGIONAL DE ENSINO AUTONOMIA PARA DIRIGIR SUAS ESCOLAS. ESTAS RECEBEM VERBAS E PODEM APLICÁ-LAS CONFORME SUAS NECESSIDADES.

 

ENTRETANTO, APESAR DESSAS MELHORIAS, MUITAS DESSAS CONQUISTAS DO PROFESSORADO, A ESCOLA NÃO AVANÇA, O NÍVEL DE ENSINO CONTINUA PRECÁRIO, A DESMOTIVAÇÃO DE PROFESSORES E ALUNOS ATINGE O GRAU MÁXIMO.

 

NÃO ACREDITAMOS QUE A SOLUÇÃO ESTEJA TÃO SOMENTE NA JUSTA REMUNERAÇÃO DO PROFESSOR. ELA TEM QUE ENVOLVER OUTROS SETORES E DE MODO GLOBAL E PROFUNDO. A ESCOLA ESTÁ À MARGEM DA SOCIEDADE, NÃO DISPÕE DOS ATRATIVOS DA MÍDIA: ESPORTES, BRINQUEDOS, DIVERSÕES. O PROFESSOR, SEM BASE SÓLIDA CULTURAL E ESPECÍFICA, NÃO TEM DESCORTINO E FIRMEZA PARA CONSTRUIR COM O ALUNO O CONHECIMENTO. AMBOS PARARAM NO TEMPO.

 

ALONSO DESENHA O PERFIL DO NOVO PROFISSIONAL:

 

TORNA-SE UM PROFISSIONAL EFETIVO, EM CONTRAPOSIÇÃO AO TAREFEIRO OU FUNCIONÁRIO BUROCRÁTICO; ESSE PROFISSIONAL TERÁ QUE SER VISTO COMO ALGUÉM QUE NÃO ESTÁ PRONTO, ACABADO, MAS EM CONSTANTE FORMAÇÃO; UM PROFISSIONAL INDEPENDENTE COM AUTONOMIA PARA DECIDIR SOBRE O SEU TRABALHO E SUAS NECESSIDADES; ALGUÉM QUE ESTÁ SEMPRE EM BUSCA DE NOVAS RESPOSTAS, NOVOS ENCAMINHAMENTOS PARA SEU TRABALHO E NÃO SIMPLESMENTE UM CUMPRIDOR DE TAREFAS E EXECUTOR MECÂNICO DE ORDENS SUPERIORES E, FINALMENTE, ALGUÉM QUE TEM SEUS OLHOS PARA O FUTURO E NÃO PARA O PASSADO. (1994:6).

 

COMO FORMAR (OU REFORMAR) O FORMADOR PARA A MODERNIDADE? ATRAVÉS DE UMA FORMAÇÃO CONTINUADA, QUE, ALÉM DE REFORÇAR OU PROPORCIONAR OS FUNDAMENTOS E CONHECIMENTOS DE SUA DISCIPLINA, O MANTENHA CONSTANTEMENTE A PAR DOS PROGRESSOS, INOVAÇÕES E EXIGÊNCIAS DOS TEMPOS MODERNOS.

 

ESTEVES (1993:66) APONTA ALGUMAS CARACTERÍSTICAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA:

 

UMA RUPTURA COM O INDIVIDUALISMO PEDAGÓGICO, OU SEJA, EM QUE O TRABALHO E A REFLEXÃO EM EQUIPE SE TORNAM NECESSÁRIOS; UMA ANÁLISE CIENTÍFICA DA PRÁTICA, PERMITINDO DESENVOLVER, COM UMA FORMAÇÃO DE NÍVEL ELEVADO, UM ESTATUTO PROFISSIONAL; UM PROFISSIONALISMO ABERTO, ISTO É, EM QUE O ACTO DE ENSINO É PRECEDIDO DE UMA PESQUISA DE INFORMAÇÕES E DE UM DIÁLOGO ENTRE OS PARCEIROS INTERESSADOS.

 

 

 

 

 

COMO E QUANDO REALIZAR A FORMAÇÃO CONTINUADA? NOS FINS DE SEMANA? É IMPRATICÁVEL E NÃO SE PODE EXIGIR DE QUEM TRABALHA A SEMANA INTEIRA E MERECE, COMO OS OUTROS TRABALHADORES, DESCANSO E LAZER. EM SERVIÇO? TALVEZ. ISSO IMPLICARIA EM ALTERAÇÃO DA ROTINA DA ESCOLA: DIMINUIÇÃO DE DIAS LETIVOS, DISPENSA DE ALUNOS E OUTROS ACERTOS PARA OBTER A PARTICIPAÇÃO DA MAIORIA.

 

TUDO ISSO ENVOLVE DINHEIRO E, SOBRETUDO, VONTADE POLÍTICA. NÃO ADIANTA CONSTRUIR E REFORMAR PRÉDIOS, DOTÁ-LOS DE TODOS OS RECURSOS DA TECNOLOGIA, SE O SEU LÍDER, O PROFESSOR ESTÁ DESMOTIVADO E DESPREPARADO PARA DESENCADEAR O PROCESSO. "NÃO HÁ ENSINO DE QUALIDADE, NEM REFORMA EDUCATIVA, NEM INOVAÇÃO PEDAGÓGICA, SEM UMA ADEQUADA FORMAÇÃO DE PROFESSORES". (NÓVOA, 1992:9).

 

OS CURSOS DE FIM DE SEMANA NÃO TÊM DADO BONS RESULTADOS. NA ESCOLA, DURANTE O SERVIÇO, NÃO CONSEGUEM REUNIR A TODOS, POIS MUITOS TRABALHAM EM OUTROS LOCAIS.

 

MESMO SUPONDO QUE O PROFESSOR TENHA RECEBIDO ADEQUADA FORMAÇÃO, A ATUALIZAÇÃO É UMA EXIGÊNCIA DA MODERNIDADE. TABUS CAEM, MÉTODOS SÃO QUESTIONADOS, CONCEITOS SÃO SUBSTITUÍDOS, O MUNDO DA CIÊNCIA, DO TRABALHO, DA POLÍTICA, DA EMPRESA CAMINHA VELOZMENTE PARA MUDANÇAS DE PADRÕES E EXIGÊNCIAS. SE O DIPLOMA ABRE AS PORTAS DO MERCADO DE TRABALHO, NÃO GARANTE A PERMANÊNCIA NELE. OS MEDÍOCRES, SERÃO PRETERIDOS PELOS MELHORES CLASSIFICADOS.

 

E O PROFISSIONAL DA ESCOLA? AQUI A SITUAÇÃO É DIFERENTE E PECULIAR. NÃO HÁ COBRANÇA NEM SUPERVISÃO. O PROFESSOR EXCELENTE TEM A MESMA CONSIDERAÇÃO, AVALIAÇÃO QUE O OMISSO E INCAPAZ. NÃO HÁ ESTÍMULO PARA ATUALIZAÇÃO E APRIMORAMENTO. OS SALÁRIOS SÃO BAIXOS, A ESTRUTURA, PRECÁRIA, A APOSENTADORIA, ATERRORIZANTE. A PRÓPRIA COMUNIDADE NÃO COBRA BOM DESEMPENHO DO PROFESSOR, CONTENTANDO-SE APENAS EM QUE A ESCOLA ACEITE SEUS FILHOS PARA NÃO FICAREM SÓS EM CASA OU NA RUA.

 

NÃO HÁ DIVULGAÇÃO DE EXPERIÊNCIAS BEM SUCEDIDAS ENTRE OS PROFESSORES; UM NÃO SABE O QUE O OUTRO ESTÁ "DANDO", OS MÉTODOS E AVALIAÇÃO SÃO PESSOAIS E ARBITRÁRIOS. PARA ESTEVES (1993:98), A FORMAÇÃO CONTINUADA EXIGE PROFISSIONAIS "CONHECEDORES DA REALIDADE DA ESCOLA, CAPAZES DE TRABALHAR EM EQUIPE E DE PROPORCIONAR MEIOS PARA A TROCA DE EXPERIÊNCIAS, DOTADOS DE ATITUDES PRÓPRIAS DE PROFISSIONAIS CUJO TRABALHO IMPLICA A RELAÇÃO COM O OUTRO...".

 

O TREINAMENTO EMPRESARIAL É GERALMENTE REALIZADO EM SERVIÇO. CURSOS SÃO MINISTRADOS AO FINAL DO EXPEDIENTE, A EMPRESA ABRE MÃO DE SEUS FUNCIONÁRIOS, POR ACREDITAR QUE INVESTIR EM SUA FORMAÇÃO CONTINUADA É LUCRO E RETORNO GARANTIDOS. ALGUMAS EMPRESAS, EM LOCAIS ESPECIAIS, DURANTE UMA SEMANA OU MAIS DIAS, CAPACITAM OS SEUS FUNCIONÁRIOS EM UM AMBIENTE SAUDÁVEL QUE PERMITE, ALÉM DA TROCA DE EXPERIÊNCIAS E INTERAÇÃO, APERFEIÇOAR-SE EM SEU SERVIÇO.

 

O ESTADO É O MAIOR EMPREGADOR. SÓ QUE NÃO DISPÕE (SIC) DE VERBA PARA IMITAR AS GRANDES EMPRESAS. OU NÃO TEM VONTADE POLÍTICA PARA ISSO. ENTRETANTO, SEGUNDO NÓVOA (1992:27), "IMPORTA VALORIZAR PARADIGMAS DE FORMAÇÃO QUE PROMOVAM A PREPARAÇÃO DE PROFESSORES REFLEXIVOS, QUE ASSUMAM A RESPONSABILIDADE DO SEU PRÓPRIO DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL E QUE PARTICIPEM COMO PROTAGONISTA NA IMPLEMENTAÇÃO DAS POLÍTICAS EDUCATIVAS".

 

VOLTAMOS AO PONTO INICIAL: OU SE INVESTE NO PROFESSOR, EM SUA FORMAÇÃO, ATUALIZAÇÃO E SATISFAÇÃO PESSOAL E PROFISSIONAL, OU A ESCOLA CONTINUARÁ SENDO A MENTIRA QUE É: DE PORTAS ABERTAS, SIM, PORÉM, UM PSEUDO-ENSINO, SEM CARACTERÍSTICAS DE EQÜIDADE, ULTRAPASSADO, A SERVIÇO DA MANUTENÇÃO DO STATUS QUO, QUE É O QUE DESEJA A CLASSE DOMINANTE.

 

MASETTO (1994:96) APONTA AS CARACTERÍSTICAS QUE DEVE POSSUIR A FORMAÇÃO DO PROFESSOR:

 

INQUIETAÇÃO, CURIOSIDADE E PESQUISA. O CONHECIMENTO NÃO ESTÁ ACABADO; EXPLORAÇÃO DE "SEU" SABER PROVINDO DA EXPERIÊNCIA ATRAVÉS DA PESQUISA E REFLEXÃO SOBRE A MESMA; DOMÍNIO DE ÁREA ESPECÍFICA E PERCEPÇÃO DO LUGAR DESSE CONHECIMENTO ESPECÍFICO NUM AMBIENTE MAIS GERAL; SUPERAÇÃO DA FRAGMENTAÇÃO DO CONHECIMENTO EM DIREÇÃO AO HOLISMO, AO INTER-RELACIONAMENTO DOS SABERES, A INTERDISCIPLINARIDADE; IDENTIFICAÇÃO, EXPLORAÇÃO E RESPEITO AOS NOVOS ESPAÇOS DE CONHECIMENTO (TELEMÁTICA); DOMÍNIO, VALORIZAÇÃO E USO DOS NOVOS RECURSOS DE ACESSO AO CONHECIMENTO (INFORMÁTICA); ABERTURA PARA UMA FORMAÇÃO CONTINUADA.

 

PROPOSTAS DE SOLUÇÃO SÓ A LONGO PRAZO. SE A ESCOLA NÃO COMEÇAR A MELHORAR HOJE, AMANHÃ ELA CONTINUARÁ A SER O QUE É. O HOJE SIGNIFICA O ENSINO FUNDAMENTAL. SE NOSSAS CRIANÇAS NÃO FOREM ALFABETIZADAS ADEQUADAMENTE, NÃO APRENDEREM A LER O LIVRO E O MUNDO, A QUESTIONAR, CRIAR, PARTICIPAR, EXIGIR; SE OS MÉTODOS NÃO SE TORNAREM ATIVOS, SE O CONTEÚDO NÃO SE TORNAR SIGNIFICATIVO, DE NADA ADIANTA FALAR EM REFORMA OU MELHORIA DE ENSINO EM OUTROS NÍVEIS. A BASE É QUE ESTÁ VICIADA E PRECÁRIA. ESTAMOS ALFABETIZANDO COMO HÁ CINQÜENTA ANOS: REPETINDO LIÇÕES, COPIANDO A CARTILHA, FALANDO UMA LINGUAGEM INCOMPREENSÍVEL.

 

 

 

ENQUANTO ISSO A CRIANÇA SE AGITA OU FICA QUIETA. NÃO FALA, SÓ OUVE: NÃO PENSA, SÓ IMITA; NÃO CONSTRÓI, RECEBE PRONTO. SE NÃO SE INVESTIR AQUI, NO COMEÇO, NA BASE, TORNANDO A ESCOLA UM ESPAÇO ALEGRE DE CRIAÇÃO, DESCOBERTA, VIVÊNCIA E SOLIDARIEDADE, TRABALHO CONJUNTO EM QUE O PROFESSOR NÃO É O MESTRE MAS O COORDENADOR E ORGANIZADOR DO TRABALHO, MEMBRO DE UMA EQUIPE DE PESQUISA E ESTUDO..., A ESCOLA CONTINUARÁ NA UTI. NÃO MORRERÁ, POIS ISSO NÃO INTERESSA AO PODER MAS CONTINUARÁ AGONIZANTE, AMORFA, INÚTIL, REPRODUTORA E SERVIL À CLASSE DOMINANTE.

 

É ESSE O DESAFIO PARA OS EDUCADORES: REFORMAR DESDE AS BASES A ESCOLA E PREPARÁ-LA PARA A MODERNIDADE. POR QUÊ? PORQUE COMO NOS EXPLICITA NÓVOA (1991:29)

 

GRANDE PARTE DO POTENCIAL CULTURAL (E MESMO TÉCNICO E CIENTÍFICO) DAS SOCIEDADES CONTEMPORÂNEAS ESTÁ CONCENTRADO NAS ESCOLAS. NÃO PODEMOS CONTINUAR A DESPREZÁ-LO E A MENORIZAR AS CAPACIDADES DE DESENVOLVIMENTO DOS PROFESSORES. O PROJECTO DE UMA AUTONOMIA PROFISSIONAL, EXIGENTE E RESPONSÁVEL, PODE RECRIAR A PROFISSÃO PROFESSOR E PREPARAR UM NOVO CICLO NA HISTÓRIA DAS ESCOLAS E DOS SEUS ATORES. (NÓVOA, 1991:29).

 

________________________________

 

(1) DINÉIA HYPOLITTO – MESTRE EM EDUCAÇÃO PELO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO E CURRÍCULO DA PUC-SP; PROFESSORA DE PRÁTICA DE ENSINO E COORDENADORA DE ESTÁGIO DA UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU (USJT) – SP; SUPERVISORA APOSENTADA DA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO

 

(2) "ACTIVIDADES FORMATIVAS QUE OCORREM APÓS A CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL INICIAL... QUE VISAM PRINCIPAL OU EXCLUSIVAMENTE MELHORAR OS CONHECIMENTOS, AS HABILIDADES PRÁTICAS E AS ATITUDES DOS PROFESSORES NA BUSCA DE MAIOR EFICÁCIA NA EDUCAÇÃO DOS ALUNOS". (RODRIGUES & ESTEVES, 1993: 44)

 

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


ALONSO, MYRTES. UMA TENTATIVA DE REDEFINIÇÃO DO TRABALHO DOCENTE. SÃO PAULO: 1994 (MIMEO).

BRZEZINSKI, RIA. NOTAS SOBRE O CURRÍCULO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: TEORIA E PRÁTICA. UNB, 1994.

 

DEMO, EDUCAÇÃO E QUALIDADE. CAMPINAS, SP: PAPIRUS, 1994.

 

FREIRE, MADALENA. A FORMAÇÃO PERMANENTE. IN: FREIRE, PAULO: TRABALHO, COMENTÁRIO, REFLEXÃO. PETRÓPOLIS, RJ: VOZES, 1991.

 

MASETTO, MARCOS TARCISO. PÓS-GRADUAÇÃO E FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O 3° GRAU. SÃO PAULO: 1994 (MIMEO).

 

MELLO, GUIOMAR NAMO DE. CIDADANIA E COMPETIVIDADE – DESAFIOS EDUCACIONAIS DO TERCEIRO MILÊNIO. SÃO PAULO: CORTEZ, 1994.

 

NÓVOA, ANTÓNIO. (ORG.). OS PROFESSORES E A SUA FORMAÇÃO. LISBOA: DOM QUIXOTE, 1992.

 

_______. PROFISSÃO PROFESSOR. PORTUGAL: PORTO EDITORA, 1991.

 

RODRIGUES, ANGELA & ESTEVES, MANUELA. A ANÁLISE DAS NECESSIDADES NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES. PORTO EDITORA, 1993.

 

SEABRA, CARLOS. UMA EDUCAÇÃO PARA UMA NOVA ERA. IN: TECNOLOGIA E SOCIEDADE. A REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA E OS NOVOS PARADIGMAS DA SOCIEDADE. BELO HORIZONTE: OFICINA DE LIVROS, 1994.

 

VASCONCELLOS, CELSO DOS SANTOS. PARA ONDE VAI O PROFESSOR? RESGATE DO PROFESSOR COMO SUJEITO DE TRANSFORMAÇÃO. SÃO PAULO: LIBERTAD, 1995. (COLEÇÃO SUBSÍDIOS PEDAGÓGICOS DO LIBERTAD; V. L).