ENFIM, O BOM SENSO

PUBLICADO POR CONTEUDOESCOLA - AUTOR FRANCISCO VALENTE EM 18/05/2004 ÀS 17H50

A REUNIFICAÇÃO DO ENSINO MÉDIO E ENSINO TÉCNICO

O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ANUNCIOU QUE PRETENDE REVOGAR O DECRETO 2.208/97 QUE DESMEMBROU EM ENSINO TÉCNICO E ENSINO MÉDIO (TRADICIONAL) O ANTIGO COLEGIAL PROFISSIONALIZANTE, O QUE CRIOU UMA LACUNA IMPERDOÁVEL NA FORMAÇÃO DE ADOLESCENTES E SUA PREPARAÇÃO PARA O MUNDO DO TRABALHO. 

ESSA MEDIDA ALUCINADA MARCOU "... O RETROCESSO DE TUDO QUE SE HAVIA FORMADO: PRATICAMENTE FOI EXTINTA A OFERTA DE ENSINO TÉCNICO-PROFISSIONAL NO PAÍS..." (PALAVRAS DE FRANCISCO DANA, COORDENADOR-GERAL DA ÁREA DE POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA DO MEC).

TALVEZ POR RANÇO IDEOLÓGICO (O ENSINO MÉDIO PROFISSIONALIZANTE ERA UMA DAS ESTRELAS DA LDB 5.692/71, APESAR DE NUNCA TER FUNCIONADO A CONTENTO, CERTAMENTE PELA MÁ VONTADE DO GOVERNO MILITAR EM SUA IMPLANTAÇÃO EFETIVA), OU FORÇADO PELO "LOBBY" DAS ESCOLAS PARTICULARES, POUCOS MESES APÓS A PUBLICAÇÃO DA NOVA LEI DE DIRETRIZES E BASES - LDB 9.394/96 - O MEC DESDOBROU O ENSINO MÉDIO EM DUAS MODALIDADES, DE TAL FORMA QUE O JOVEM SOMENTE PODERIA RECEBER O DIPLOMA DE ENSINO TÉCNICO APÓS TER TERMINADO O ENSINO MÉDIO TRADICIONAL. OU SEJA, AO INVÉS DE TRÊS, SEIS LONGOS ANOS.

UM PAÍS COMO O NOSSO, EM QUE OS JOVENS FICAM NAS RUAS POR FALTA DE EMPREGO, ENTRE OUTRAS CARÊNCIAS, O DECRETO, NA PRÁTICA, ESTICOU POR MAIS TRÊS ANOS A CHANCE DE INGRESSO NO MUNDO DO TRABALHO, ATÉ ENTÃO POSSÍVEL COM OBTENÇÃO DE UMA CERTIFICAÇÃO DE ENSINO PROFISSIONAL LOGO APÓS O ENSINO FUNDAMENTAL.

 

NA PRÁTICA O JOVEM, HOJE AINDA, TEM QUE FAZER OS DOIS CURSOS AO MESMO TEMPO (SERÁ QUE OS JOVENS CARENTES DO BRASIL TÊM ESSA DISPONIBILIDADE?), OU CURSAR O ENSINO MÉDIO TRADICIONAL PARA, EM SEGUIDA, CURSAR O ENSINO MÉDIO TÉCNICO.

 

POUCO MAIS TARDE FORAM CRIADOS E AUTORIZADOS, JUNTO ÀS FACULDADES E UNIVERSIDADES PRIVADAS, CURSOS "TECNOLÓGICOS" SEQÜENCIAIS CONCEDENDO, EM DOIS OU TRÊS ANOS (E PAGANDO MENSALIDADES BEM CARAS), UMA CERTIFICAÇÃO "TECNOLÓGICA" (ATÉ HOJE O MERCADO DE TRABALHO NÃO ASSIMILOU BEM ISSO) E COMPETINDO DIRETAMENTE (E DESIGUALMENTE) COM OS CURSOS OFERECIDOS PELO ENSINO TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO.

CRIOU-SE UM NOVO FILÃO DE MERCADO – OS CURSOS SEQÜENCIAIS "TECNOLÓGICOS" - PARA AS ESCOLAS SUPERIORES PRIVADAS (VERDADEIRAS PICARETAGENS, SALVO RARAS EXCEÇÕES, COMO OS DA REDE SENAC) E DESMONTOU-SE UMA ESTRUTURA DE PROFISSIONALIZAÇÃO CUJO INGRESSO DAR-SE-IA LOGO APÓS O TÉRMINO DA 8A. SÉRIE.

 

NO DIZER DE CÉLIO DA CUNHA, ASSESSOR ESPECIAL DA UNESCO, " ...UM PAÍS COMO O BRASIL, ONDE EXISTE UM CONTINGENTE MUITO GRANDE DE ESTUDANTES COM DIFICULDADES FINANCEIRAS, A CONCLUSÃO DO ENSINO MÉDIO SIMULTANEAMENTE A UMA FORMAÇÃO TÉCNICA É UMA QUESTÃO DE JUSTIÇA SOCIAL; É FUNDAMENTAL DOTAR O PAÍS DE UMA CAPACIDADE TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO...".

 

COM A NOVA POSTURA DO MEC, OS CURSOS MÉDIOS – TRADICIONAL E TÉCNICO – PODERÃO SER OFERECIDOS PELA MESMA ESCOLA, INTEGRADOS, DANDO AO ALUNO UM DIPLOMA DE ENSINO MÉDIO/TÉCNICO.

 

HOJE, SÃO 589.383 ESTUDANTES DE CURSOS PROFISSIONAIS CONCENTRADOS, NA MAIOR PARTE (55,1%), NA REDE PARTICULAR DE ENSINO. A SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA DO MEC PRETENDE, NOS PRÓXIMOS 15 ANOS, OFERECER VAGAS PARA 65 MILHÕES DE TRABALHADORES SEM FORMAÇÃO. SE DEIXARMOS DE LADO A GRANDIOSIDADE DA PROMESSA (COMO SÃO ASTRONÔMICOS OS NÚMEROS DAS PROMESSAS DO GOVERNO!!!?) E PENSARMOS EM METAS OBJETIVAS, O NÚMERO DE CURSANTES DO ENSINO PROFISSIONAL CERTAMENTE DOBRARÁ EM 2 ANOS. E TUDO ISSO, SOMENTE MODIFICANDO UM DECRETO... SÓ ISSO.