DO INTERESSE TEÓRICO-PRÁTICO DE EXPLICAR O QUE ACONTECE EM SALA DE AULA, SURGE O OBJETIVO DE FORMAR PESSOAS CAPAZES DE DESENVOLVER UM PENSAMENTO AUTÔNOMO, COM POSSIBILIDADE DE PRODUZIR NOVAS IDÉIAS E CAPAZES DE AVANÇOS CIENTÍFICOS E CULTURAIS (SOCIAIS).

 

DO INTERESSE TEÓRICO-PRÁTICO DE EXPLICAR O QUE ACONTECE EM SALA DE AULA, SURGE O OBJETIVO DE FORMAR PESSOAS CAPAZES DE DESENVOLVER UM PENSAMENTO AUTÔNOMO, COM POSSIBILIDADE DE PRODUZIR NOVAS IDÉIAS E CAPAZES DE AVANÇOS CIENTÍFICOS E CULTURAIS (SOCIAIS).

ESSA FORMAÇÃO NÃO DEVE LIMITAR-SE AOS ASPECTOS CIENTÍFICOS E CULTURAIS, MAS TAMBÉM A TUDO O QUE CONCERNE A RELAÇÕES INTERPESSOAIS.

JEAN PIAGET NASCEU NA SUÍÇA, EM 1896 E MORREU EM 1980. EPISTEMÓLOGO (ESTUDOU TEORIA DO CONHECIMENTO), BIÓLOGO E PSICÓLOGO. PUBLICOU SEUS PRIMEIROS TRABALHOS EM 1911, AOS 15 ANOS. SEU TRABALHO MAIS IMPORTANTE: EPISTEMOLOGIA GENÉTICA. 

EXISTEM QUATRO FATORES PARA QUE SE POSSA CONSTRUIR O CONHECIMENTO / AFETO: 

1 – MATURAÇÃO BIOLÓGICA;

2 – TRANSMISSÃO SOCIAL;

3 – AÇÃO SOBRE O OBJETO;

4 – EQUILIBRAÇÃO: 

- ASSIMILAÇÃO

INCORPORAÇÃO DE UM NOVO OBJETO OU IDÉIA AO QUE JÁ É CONHECIDO, AO ESQUEMA QUE A CRIANÇA JÁ POSSUI.

- ACOMODAÇÃO

IMPLICA NA TRANSFORMAÇÃO QUE O ORGANISMO SOFRE PARA PODER LIDAR COM O AMBIENTE. ASSIM, DIANTE DE UM OBJETO NOVO OU DE UMA IDÉIA VIVA, A CRIANÇA MODIFICA SEUS ESQUEMAS ADQUIRIDOS ANTERIORMENTE, TENTANDO ADAPTAR-SE À NOVA SITUAÇÃO.

DO EQUILÍBRIO DESSES DOIS PROCESSOS ADVÉM UMA ADAPTAÇÃO AO MUNDO CADA VEZ MAIS ADEQUADA E UMA CONSEQÜENTE ORGANIZAÇÃO MENTAL.

O DESENVOLVIMENTO COGNITIVO CONTROLADO POR ESSES FATORES, PROCESSA-SE ATRAVÉS DE TODAS AS ATIVIDADES INFANTIS, DIRIGIDAS A OBJETOS E SITUAÇÕES EXTERNAS.

ESSAS ATIVIDADES COMPREENDEM APRENDIZAGENS QUE SE UTILIZAM DE MECANISMOS COMO: 

- ABSTRAÇÃO EMPÍRICA

DIZ RESPEITO À INFORMAÇÃO EXTRAÍDA DOS OBJETOS FÍSICOS ATRAVÉS DA OBSERVAÇÃO. EX.: A CRIANÇA OBSERVA QUE O URSINHO DE PANO É MACIO, ,MOLE E ASSIM POR DIANTE. SÃO INFORMAÇÕES FÍSICAS QUE A CRIANÇA ABSTRAI ATRAVÉS DE SEUS CONTATOS SENSÓRIO-MOTORES COM O URSINHO.

- ABSTRAÇÃO REFLEXIVA

ENVOLVE A REFLEXÃO SOBRE RELAÇÕES NÃO OBSERVÁVEIS, MAS ELABORADAS NA MENTE. NASCE DE UM CONHECIMENTO LÓGICO-MATEMÁTICO, NÃO DEPENDE DA OBSERVAÇÃO E SIM DE INFERÊNCIAS E DEDUÇÕES LÓGICAS.

TODO ATO INTELIGENTE É ACOMPANHADO POR SENTIMENTOS (DE INTERESSE, DE PRAZER, DE ESFORÇO) QUE FORNECEM A ENERGIA QUE ATIVA O CRESCIMENTO INTELECTUAL. A EMOÇÃO TORNA A INTELIGÊNCIA DINÂMICA. PORTANTO TODA A AÇÃO ENVOLVE UM ASPECTO ESTRUTURAL OU COGNITIVO E UM ASPECTO ENERGÉTICO OU AFETIVO.

A INTELIGÊNCIA FORNECE A ESTRUTURA PARA A AÇÃO. OS SENTIMENTOS FORNECEM A SUA DINÂMICA E SÃO INDEPENDENTES.

CADA HOMEM É AGENTE DE SEU PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO, DEVE-SE PORTANTO PROPICIAR CONDIÇÕES DE SER ATIVO CONSTRUINDO A SUA INTERAÇÃO COM O MUNDO. NA ESCOLA, SÓ A METODOLOGIA ATIVA TORNARÁ ISSO POSSÍVEL. 

O ENSINO DEVE SER FACILITADOR DO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO, NEM UM ACELERADOR NEM UM ENTRAVE. DEVE-SE SE CONHECER O PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO PARA PROPOR PROBLEMAS QUE O INDIVÍDUO COMPREENDA; RESOLVENDO-OS O INDIVÍDUO ATINGIRÁ NÍVEIS GRADUALMENTE MAIS ELEVADOS DE DESENVOLVIMENTO QUE O HABILITARÃO A APRENDIZAGENS MAIS COMPLEXAS. ASSIM SE DÁ A INTERAÇÃO ENTRE OS PROCESSOS DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO.

NÃO É SUFICIENTE CONHECER A RESPOSTA DOS ALUNOS A UMA SITUAÇÃO PROBLEMA. È NECESSÁRIO PROCEDER-SE A UMA ANÁLISE DOS PROCESSOS MENTAIS QUE LEVAM A ESSAS RESPOSTAS. PEDIR AO ALUNO QUE VERBALIZE O CAMINHO QUE PERCORREU PODE SER UM BOM AUXÍLIO PARA ESTA COMPREENSÃO.


PROCESSO DO DESENVOLVIMENTO

I – PERÍODO DA INTELIGÊNCIA SENSÓRIO-MOTORA

BASEADA NA MOTRICIDADE FÍSICA E NA PERCEPÇÃO, ASSIM DIVIDIDA: 

1 – EXERCÍCIOS REFLEXOS (DE 0 A 1 MÊS);

2 – PRIMEIROS HÁBITOS OU CONDICIONAMENTOS (REAÇÕES CIRCULARES PRIMÁRIAS OU RELATIVAS AO PRÓPRIO CORPO – DE 1 A 4 MESES);

3 – PRIMEIRAS COORDENAÇÕES (VISÃO-PREENSÃO) E PRIMEIRAS REAÇÕES CIRCULARES SECUNDÁRIAS (RELATIVAS AOS OBJETOS MANIPULADOS), COORDENAÇÃO DOS ESPAÇOS (VISUAL, AUDITIVO, BUCAL, ETC. – DE 4 A 8/9 MESES);

4 – USO DE MEIOS PARA OBTER UM FIM (COORDENAÇÃO DOS ESQUEMAS SECUNDÁRIOS), PRIMEIROS SINAIS DA "PERMANÊNCIA DO OBJETO" (DE 8/9 A 11/12 MESES);

5 – DESCOBRIMENTO DE NOVOS MEIOS (DESCOBERTA), PERMANÊNCIA DO OBJETO, USO DE INSTRUMENTOS PARA ATINGIR UM FIM, GRUPO PRÁTICO DOS DESLOCAMENTOS (DE11/12 A 18 MESES).



II – PERÍODO DE PREPARAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DAS OPERAÇÕES CONCRETAS (CLASSE, RELAÇÃO E NÚMERO)

1 – DAS REPRESENTAÇÕES PRÉ-OPERATÓRIAS (DESENVOLVIMENTO DA FUNÇÃO SEMIÓTICA: IMITAÇÃO E JOGO SIMBÓLICO). DESENVOLVEM-SE OS MECANISMOS SIMBÓLICOS: LINGUAGEM, DESENHO, IMITAÇÃO, JOGO SIMBÓLICO, DRAMATIZAÇÃO, ETC. .

1.1– PENSAMENTO SIMBÓLICO – IMITAÇÃO;

1.2 - CONFIGURAÇÕES ESTÁTICAS E RECONHECIMENTO E REPRESENTAÇÃO DO REAL (PERÍODO INTUITIVO);

1.3 - REGULAÇÕES REPRESENTATIVAS ARTICULADAS; INÍCIO DAS CONSERVAÇÕES: SUBSTÂNCIAS, PESO, VOLUME, DISTÂNCIA, VELOCIDADE, CORRESPONDÊNCIA, ETC..

2– DAS OPERAÇÕES CONCRETAS (LÓGICO E INFRALÓGICO). È O PERÍODO DA ORGANIZAÇÃO DO REAL SEGUNDO "AGRUPAMENTOS" ESTRUTURADOS PELA MENTE (CLASSIFICAÇÕES, SERIAÇÕES, TÁBUA DE DUPLA ENTRADA, ÁRVORES, SIMETRIAS, ETC.).


III – PERÍODO DAS OPERAÇÕES FORMAIS

NESTE NÍVEL DE DESENVOLVIMENTO, A CRIANÇA (NO CASO O ADOLESCENTE) ENCONTRA-SE COM OS PROCESSOS FORMAIS DE RACIOCÍNIO (PROCESSO HIPOTÉTICO– DEDUTIVO – INDUTIVO, LÓGICO – FORMAL OU LÓGICO-MATEMÁTICO).
 

0-0-0-0


BIBLIOGRAFIA

CARRAHER, T. N. E REGO, L. L. B. – O REALISMO NOMINAL COMO UM OBSTÁCULO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA. IN: CADERNO DE PESQUISA 39. FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS. SÃO PAULO, 1981.

CARRAHER, TEREZINHA E SCHLIEMANN, DAVID, ANALUCI – NA VIDA DEZ, ESCOLA ZERO – SÃO PAULO: CORTEZ, 1985.

FERREIRO, EMÍLIA E TEBEROSKY , ANA – A PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA. PORTO ALEGRE: ARTES MÉDICAS, 1985.

PIAGET, JEAN – A CONSTRUÇÃO DO REAL. RIO DE JANEIRO: ZAHAR, 1979.

PIAGET, JEAN – A EPISTEMOLOGIA GENÉTICA. PETRÓPOLIS: VOZES, 1972

PIAGET, JEAN – A TOMADA DE CONSCIÊNCIA. SÃO PAULO: ED. MELHORAMENTOS/USP, 1977.

RUSSO, MARIA DE FÁTIMA E VIAN, MARIA INÊS AGUIAR – ALFABETIZAÇÃO: UM PROCESSO EM CONSTRUÇÃO. SÃO PAULO: SARAIVA, 1993.

D'AMORIM, MARIA ALICE MAGALHÃES/PIAGET, JEAN – SEIS ESTUDOS DE PSICOLOGIA – SÃO PAULO: FORENSE UNIVERSITÁRIA, S/D